<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d1683737356227611907\x26blogName\x3drulote\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://rulote.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://rulote.blogspot.com/\x26vt\x3d-1687760607276517664', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ 24.2.10



Duas mulheres mesmo mulheres: Manuela de Freitas e Laura Morante (uma pela vitalidade e outra pela brandura). Aqui na companhia de Johann Sebastian Bach, impecável, como sempre.

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ 20.2.10

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ 19.2.10

Joann Sfar (1)

A quem espera pela morte para poder descansar em paz, o vampiro Ferdinand de Joann Sfar, amaldiçoado pela eternidade, deixa o alerta: «Love isn't any easier when you're dead.» - Vampire Loves

(Atenção: como certamente repararam, este blogue acaba de transmitir, em horário nobre - um horário agora também candidato a Presidente da República - o seu momento com vampiros. Espero que esta iniciativa tenha, como consequência natural, o aumento do número de pescocinhos que chegam ao meu sitemeter, pois é com esse triste fim que se afiam os caninos no séc. XXI.)

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ 17.2.10

Estes gauleses são loucos e estão quase todos no Arsenal

Há uns meses, o árbitro Martin Hansson validou um famoso golo que Henry fabricou com a mão e, segundo confissões do próprio jogador, sem qualquer ajuda daquela entidade divina que colaborou com Maradona, no verão mexicano de 1986. Mas, hoje à noite, graças a Deus, o mesmo Hansson deve ter-se lembrado duas vezes de Henry (em 2009 e 2004) e redimiu-se, arreliando Arsène Wenger (um francês dos pés à cabeça) ao autorizar a marcação rápida de um livre a favor do FC Porto, em plena área adversária (como, aliás, deveriam ser todos os livres; o Bruno Alves é um anjo na terra, o Fernando acerta sempre na bola, etc etc). Estão vingados os irlandeses e alguns ingleses também.

Boas intenções

«Depois da Lei de Godwin (que dita a probabilidade de uma comparação ao Nazismo à medida que uma discussão continua) e da lei da Internet do Sascha Lobo (que dita a probabilidade de, numa discussão sobre Web 2.0, alguém mencionar Obama), é também importante estabelecer que: à medida que uma discussão sobre política portuguesa avança, a probabilidade de uma citação de Eça aproxima-se de 1.»

Certo, certo, os meus dados experimentais também corroboram a lei de Rita. Contudo, no caso de a discussão ser alimentada por políticos profissionais com mais de oitenta jantares de concelhias no currículo, julgo que prevalece uma variante dessa lei, em que a citação de Eça é substituída pelo relato, por parte de um dos intervenientes, do momento em que este «sentiu na rua» uma coisa qualquer. É evidente que a degradação da vida política portuguesa passa também por esta estranha vontade de «sentir na rua» (quantas vezes suja e mal iluminada), quando toda a gente sabe que, no recato do lar, há muito melhores condições para a prática da modalidade.

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ 16.2.10

Carnaval da não Mealhada

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ 12.2.10

@daniel
©daniel

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ 6.2.10

Para depois da ginástica aeróbica:

≡≡≡≡≡≡≡≡≡≡ 4.2.10